quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

iPad... nem tanto, mestre!

Acabei de ver uma breve demonstração do novo lançamento da Apple, o iPad... poxa! =/
Decepção... pra quem tem preguiça de saber o que é, simplesmente é o meu iPod touch com uma tela umas 3 vezes maior, só que eles dizem que o "tcham" é a "possibilidade" de ler livros, mas isso dá pra fazer no meu aiPode, ou no iPhone, ou num simples notebook. Steve Jobs tá tirando a favela, né?
Nada mais a comentar, hehehe.

----

Nossa, tanta coisa aconteceu nesses dias off...

----

Desde o show do Eagle Eye Cherry bem morninho, no Via Funchal, com a Nel, com direito a algumas fotinhAs bem legaizinhas no meu órcute e feicibuqui!

----

Até uma noite TOTALLYCRAZY na Ilhabela com a minha quase-prima Carol (que até então eu era apenas uma piveta na vida dela e ela era um... nada pra mim, já que fazia aaaanos que não a via e realmente era piveta para lembrar). Essa preciso contar uns detalhes porque foi muito, muito, muito doida!!!!

A gente se combinou meio que annsssim pelo MSN de ir pra ilha porque meus pais estavam lá com a mãe dela há duas semanas e eu ainda não tinha conseguido pegar um fim-de-semana genero$o pra descer pro litoral. Aí ela me disse que a empresa banca a gasolina dela, então JÁ É!!!

Chegamos sábado cedo, sem trânsito, maravilha! Fomos para a praia do Curral com os véios, pegamos uma chuvinha no fim da tarde. Banhozinho, janta-almoço, soneca e aí veio a pergunta:
- Vamos sair?
- Ahn... vamos, né?

Pô, ir pra ilha e não dar nem um rolêzinho na Vila, tomar um sorvete ou uma breja, num dá!
Meu pai avisou: cobriram a Rua do Meio. Heeeein???? Como assim??? Cobrir a Rua do Meio é uma afronta à boêmia ilhabelística! Tantos forrós, tantas paqueras e agora cadê o sereno? Os bares também sumiram dali, sobrou uma pizzaria na esquina que rola uma bandinha com metais... virge! Como paulista gosta duma pizzaria, né? Affff!

Acabamos tomando uns chopps Schin (!!!!ruuuuuiiiimmmm!!!!!) num restaurante com um tiozinho tocando as mesmas músicas de sempre: morto!
Decidimos ir até os píeres onde rolavam umas festas duns flyers que entregaram na praia. O tal do Cielo, que parecia ser mais bacana, o carinha já deixou pagarmos R$20 nós duas, mas quando olhamos em volta, estava uma vibe muito Sirena, muita cocota, pivetes, saltão, bate-cabelo, urgh! Tô na praia, porra!
Voltamos num barzinho que pareceu muito simpático e tava rolando um eletrônico light, o tal do Creoula.
- Paga pra entrar?
- Só vocês duas?
- É.
- Eu libero. - disse a hostess-sorridente de 15 anos.

Meio carinho, com preços "praticados" em São Paulo, mas logo ficou muito divertido! Muitos gatinhos, alguns HERMANOS, o som foi melhorando, a bibida foi subindo. Logo a Carol encontrou a prima dela, que estava com uma amiga piriga, ficamos ali dançando, bebendo, eis que chega um cara muito gato gritando com ela:
- AAAAHHHH NÃOOO! PÁRA! PÁRA! PÁRA TU-DOOO!

Meu Deus, pensei eu! Que figura é essa? Gatíssimo, fazendo tipo de gay??? Só depois que conversei com ele, percebi que ele não saía da "personagem", não saía, não saía... a amiga piriga já começou a se engraçar com o novo "amigo". Pensei: hummm, isso não tá certo. E então ele nos deu o veredito, muito bêbado:
- Ai, xente meu namorado nem imagina que tô aqui com esse monte de racha, ele foi dormir na pousada e eu aqui bêbado, me acabando.

A Carol sabia, depois me disse que conhecia ele das baladas GLS que ela vai sempre. Nós três ficamos inconformadas:
- Ah não, meu!
- Que desperdício!
- Você é muito gato!
- Por quê Deus?? Por que?????

E ele dizia:
- Aqui ó - levantando a camisa e mostrando o tanquinho - pode pegar, pode pegar. Uuuuu, confuzzzão!! Só confuzzzão! Anndoooooro...
HAHAHAHA!! E ele bêêêêbado-que-só a gente abusava, né.
- Xente, eu tô aqui pra zuar! Vou fazer o que numa balada de hetero? Só confuzzzão! Anndooooro! Olha eu tenho entrada pra balada que o Carlo Dallanese tá tocando ali no Sea Club! Vamo pra lá que aqui não vai dar mais nada???
- Tem entrada??? Então já é!

Chegamos lá, com os tchilenos que também conhecemos na outra balada (fomos em apenas 7 até lá) e o Vinicius-gato-delícia-gay não tinha entrada coisa nenhuma, por sorte a Carol conhecia o Carlo Dallanese e entrou na balada pra pedir uns VIPs pro ex-vizinho dela. Ela volta:
- NÃO É O CARLO DALLANESE QUE ESTÁ TOCANDO!!!
- Vinicius você tá muito bêbado, porra!
- Uuuuuu, confuzzzzão ó! - e levantava a camiseta pra hostess. - Me dá um beijo?
- Não! Ó posso liberar duas meninas VIPs, mas homem é duzentos e as outras duas cento e vinte. Tudo consumível.
- O queeeee??? Vambora, Carol! - me desesperei vendo todas essas notinhas saindo da minha conta.
- Não! Deixa que eu pago a sua e a minha e a minha prima e a amiga entra VIP.
- Quanto é a garrafa?
- Duzentos e dez reais, Absolut.
- Virge maria, vamos sair daqui dando cambalhota! Me dá um beijo? - o gay pedindo beijo pra hostess, hahahaha!

E entramos, né? Senhor Jesus Cristo que guarda a alma dos bêbados! Piramos o cabeção naquele lugar fino, com as lanchas ali do lado, com piscina de degraus, cadeiras brancas, chão branco, espreguiçadeiras brancas, toldos brancos, bartenders lindos, homens lindos saindo da piscina, sem camisa... virgemaria!!! Imagina aquele monte de louca num lugar desses? Só saímos de lá quando o sol estava começando a fritar os miolos.

Chegamos em casa, depois de levar cada um na sua casa (que fica em cada extremo da ilha, affff), meu pai já estava acordado e tinha comprado pão, hahaha! E ainda tirou o maior sarro das duas bêbadas, que agora não lembro o que foi. Dormi na cama dele e só consegui acordar no dia seguinte porque fomos direto pra praia e dei um mergulho no mar até chover e começar a ficar frio.

Benzadeus!

----

Tudo isso só não foi perfeito e maravilhoso porque na noite que cheguei em casa, segunda de noite, comecei a passar muito, muito, muito mal com diarréia e vômitos que não acabavam nunca! Me disseram que peguei a tal "virose da praia". Tive que tomar soro e sem conseguir trabalhar, passei dois dias na casa da Tia Edite que cuidou de mim. (L)

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Como importar o Blogspot (Blogger) para o Wordpress.org

"MAAAAAAAANO", como diz minha fina amiga Nelize, apanhei, viu?

Apanhei pra cacete desse Wordpress, mas finalmente consegui colocar no ar o blog da minha priima! Já estava perdendo a paciência com ela que me pentelha todo dia com um e-mail na minha caixa perguntando do blog dela.

E descobri uma parada dá hora! Ela tinha um blog no Blogspot (Blogger) e aí decidiu fazer um blog com endereço próprio e eu a aconselhei usar o Wordpress porque é digrátis e EXTREMAMENTE eficiente.
Então lá fui eu saber como usava essa porra! Aprendi, fiz layout, coloquei no ar e tá tudo certo (3 meses depois), só que ela quer os posts antigos dela no novo blog, e aí?

Foi um perrengue, pesquisei em mil fóruns e finalmente descobri que uma ferramentinha milagrosa do próprio Wordpress que faz a importação de ENEs blogues simplesmente não funciona SÓ para o Blogger, que legal, né?

Bom aí que a gambiarra é a seguinte: você importa todo o seu Blogger para um RSS (ou simplesmente XML - e nisso vão juntos os comentários) e importa lá no Wordpress.org (que não é o Wordpress.com) pela opção de Importar RSS!

Tcharaaaam! Tudo justo e perfeito. =D

sábado, 16 de janeiro de 2010

Instável

Essa foi a palavra que a bombeira da festa nos definiu: instável!

ATENÇÃO! Este post contém cenas de total imprudência, foi feita por profissionais, não tente repetir isto.

Três dias combinando a baladinha de sexta-feira, avisei todo mundo que não tinha um tostão pra balada, ou seja: fazer esquenta nervoso e chegar antes da 1h, quando mulher ainda não pagava.

Com uma hora de atraso fui buscar dona Vanessa que achou que a gente tinha combinado às 23h. Passei na Dani e a Julia já estava lá tentando convencer a Dani que a 5a. roupa que ela estava provando estava ótima. Partiu o quarteto Ferrugem (com dois desfalques) direto pro supermercado providenciar os aditivos.
Uma garrafa de Smirnoff (já que a deliciosa Absolut Vanilla que deixou saudades em Ferrugem estava 3 vezes mais cara) e incontáveis latas de energético seguimos rumo a Clash, na Barra Funda, lugar que até hoje não sei onde é, não sei como chega, não sei como sai de lá já que todas as vezes que fui pra lá estava bêbada!

Pegamos um trânsito maldito na Marginal quase no meio da madruga!!! Não é de fuder o cidadão??? Enquanto a Dani e a Julia causavam no banco de trás mandando para os bancos da frente vodka quente com energético "fresco" (hmmmmm QUE DELÍCIA!!! como odeio bebida quente), a Vanessa repetia:
- A gente tinha que estar ali, ali, ali, ali. - apontando para a via local da Marginal
- Eu seeeeeei Vanessa, eu seeeeei, mas não tem outra saída! Vamos fazer amizade.

Olhamos para os carros do lado e só tinha gente muito feia, andamos 50m e vimos muitas luzes piscando:
- Ih gente, fudeu! Fudeu! Esse trânsito é a blitz do bafômetro! HAHAHA! - zoeirinha minha, ficou um silêncio no carro...
Mas logo o trânsito andou e era um puta acidente com um caminhão atravessado em duas pistas e uma Parati branca destruída causando o transtorno na nossa night!
Foi quando decidi perguntar se alguém sabia chegar na balada.
- Dani, cadê o mapa?
- Eu não tenho, falei pra você imprimir.
- Não, você disse no e-mail "imprimi o google maps".
- Eu disse: imprime o google maps.
- Tinha um "i" no final da palavra! Ai caraio, lá vamos nós...

A gente andou muito, mas muito! Sorte que tenho quase uma memória fotógrafica e fui me "alembrando" mais ou menos do caminho, depois de muitas voltas em praças e rotatórias, muitos taxistas interrogados (já que me perdida a cada volta em uma praça, as placas não indicam EXATAMENTE onde tenho que entrar) e até uma fechada de um motorista de ônibus maldito que eu espero que queime no mármore do inféééérno!

Com tantas voltas e reviravoltas já tinha se passado mais de uma hora dentro do carro e o pessoalzinho do banco de trás já tava daquele jeito, num momento olhei pelo retrovisor e vi dona Julia preparando mais uma dose:
- O que eu tô vendo é que vocês duas já tomaram mais de meia garrafa de vódega??? Enquanto eu ainda estou aqui no meu primeiro copinho?????

Bom, conseguimos chegar, estacionamos, virei as últimas gotas de bibida nos respectivos copos e vamos. Ainda faltava 30 minutos para 1h então ficamos ali perto da entrada terminando nossas bebidas deliciosamente quentes!
- Pronto? Bebeu?
- Não aguento mais.
- É, eu também não, tá quente demais agora. O geladinho do energético se foi.
- Então vamos entrar. Deixa o resto aí no cantinho.
- Bora, bora, bora.

Quando chegamos no segurança, ele chamou uma mulher-macho, vestida de bombeira que disse pra gente:
- Ela não entra.
- Por que não? Ainda não deu 1h.
- Ela não entra, são regras da casa, ela está instável!
- HAHAHAHAHAHA!!!
- Mas ela tá ótima! Ela derruba qualquer um aqui.
- Zim, eu zô beim. - disse dando uma trupicada pra trás e chutando o lixo.
- Hahahaha, agora fudeu, nossa teoria caiu por terra.
- Leva ela pra beber uma Coca, uma água, alguma coisa que melhore. Assim ela não entra.
- Mas vamos ter que pagar pra entrar depois?
- Não, eu libero vocês.
- Então beleza.
- Vem com a gente, X. (ela pediu segredo, hahahahaha)

Saimos da frente da balada e carregamos ela pra trás do carro, aí pronto, fudeu! Ela tava mal mesmo.
- Vou vomitar, vou vomitar.
E ficou mais de meia hora apoiada num carro que nem o Kiko. Uma hora acaba, né? O estômago não tem mais nada pra devolver. Aí ela começou a fazer uns barulhos estranhos tentando vomitar mais e a gente se mijava de rir, os seguranças da fábrica vieram no portão ver o que tava acontecendo. Deram um copinho com chá de boldo, mó bonitinhos.
Aí a garota se entregou e declaramos PT, já não conseguia nem andar e decidimos levá-la pro carro e EUZINHA tive que carregar, mas eu male-male consigo carregar o MEU corpitcho, quem dirá de outro ser. Aí apareceu uma gringa, muito boazinha, oferecendo ajuda! Me ajudou muito, porque uma ia rindo atrás de mim e a outra sumiu, foi comprar água, acho.

OBS: querida amiga X, se você estiver lendo isso e se a sua cabeça estiver doendo um pouco, me desculpa, uma hora você deu uma escapadinha dos meus braços e bateu a cabeça na parede, hehehe. =$

Eu falava pra gringa:
- Gracias, thank you! You are an angel! Tu és un anrro! Como fala anjo em espanhol???
- Si, si, ok, ok! - ela respondia meio brava, hahahaha, só queria carregar a X e ir pra balada dela.

Ai apareceu outro menino oferendo ajuda e finalmente um homem gentil para carrega-la no colo e coloca-la dormindo no carro. Porra, hoje tô toda dolorida!! Braços, costas e meu pé também dói porque uma vaca deu um pisão de salto bem no meio do peito do pé, acho que rompi um ligamento, rs, tá doendo muito e tá preto! Me lembra o pé da Monica no forró!

E ficou lá, a X deitada no meu carro novo, numa posição que a gente achava que ela poderia morrer sem ar, ou engasgada com um futuro vômito.
- Mas deixa ela assim, meio caída, com a cabeça pra fora, vai vomitar todo meu carro novinho!
- Acho que ela vai morrer assim.
- Hahaha!
- Vamos virar ela um pouquinho!
- Tá vou tentar. Ai, meu ajuda X! X, por favor, X! Faz uma forcinha, se mexe um pouco! Você ainda tá respirando?
E um dedinho dela dava um sinal de vida e fazia "isso, isso, isso", do Chaves. HAHAHA!
- Então beleza, a gente vai entrar na balada, se você melhorar, encontra a gente lá! Segura seu celular aqui ó! Aqui tem água se você sentir sede e o boldo dos tiozinhos se quiser melhorar duma vez.
Ela respondeu "isso, isso, isso" com o dedinho, rs.

E fomos. A balada mesmo nem foi grandes coisas, só disse pra bombeira:
- Você destruiu nossa amiga! Nunca vi ela daquele jeito, você jogou um psicológico nela que a garota caiu!!!
Ela olhou pra mim com cara de "Ah rá! Tá bom, entra logo."

Edit: só hoje recebi as fotos secretas! Como podem ver, pela falta de foco no retrato, decidi continuar mantendo o segredo de quem seria a pessoa X!

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

É fim de semana, feriado e carnaval

É muita coisa pra planejar e consequentemente para gastar!!!
Não tô podendo, mas tô querendo.

Queria ir pra Ilhabela esse fim de semana, mas pelo tracinho na minha conta bancária, não será possível.

O feriado do aniversário de São Paulo fui convidada pra ir pro interior-perto (porque meus pais moram no interior-longe), como é a casa de alguém e rola de rachar tudo, pode ser que eu vá.

E o carnaval eu vou pro Rio e isso é certooooo!!! Já tô com a programação dos blocos de rua, com o carro cheio e com uma casa de portas abertas.

----

Começou o BBB 10, o Big Brother que a minha prima não entrou, hahaha...
Acho que vai ter muito barraco... legal! =D

domingo, 3 de janeiro de 2010

Fim de ano no Sul

Nossa não lembro da ultima vez que passei um Reveiao tão, mas tão divertido como foi esse. É legal passar com a família, como estava sendo nos últimos 25 anos, mas depois de 2009/2010, sorry family vou-me embora pro Sul.

Talvez algum dia esse meu pique acabe, mas como descobri ele só agora... Acho difícil.
A galera estava animadíssima, não tinha sossego. Nas baladas era muita zoeira, nas areias muitas risadas e na pousada muita katia. Sem contar os nossos vizinhos que eram dois GATOS-gente-boas-maconheiros. Um foi amarrado pela Deusa do Amor, nossa integrante mais nova, a Musa do Verão e o outro era meio Morto Muito Louco que não deu bola pra ninguém, entrou mudo e saiu calado.

O Celtinha que alugamos deu pro gasto e agüentou o tranco de carregar seis minas cheias de areia, arranhando o cárter em cada minúscula lombada de Garopaba, hahaha. "Foda-se não é nosso". Senti uma saudadezinha do meu carrinho novo, hehehe...

Praia da Ferrugem ficou um pouco pequena pra nós. Conhecemos todos os argentinos e uruguajos do local, algumas de nós conheceu melhor que outras, hihihi. Muitos amigos, muitas chaves de braço, o quarto 07 ganhou disparado em pontuações e bônus do quarto 06. A Vanessa 06 bem que tentou manter o placar equilibrado, mas ela não contava com os ataques ofensivos de Julia-Cartomante/Manicure/Maquiadora, o apoio de Dani-Pediu-ta-dado e a liderança de Lâima-Láima-Laila a Musa Inspiradora, as minas do 07.

Eu e Nel praticamente permanecemos no banco reserva assistindo a competição de perto.
Vanessa com a sua dança do Poodle no Cio quase me causou um infarto de tanto rir. Fora que depois me contaram que ela foi pular as sete ondas de chinelo e o perdeu no mar, começou a gritar: "CADÊ MEU CHINEEEELOOO" e fez com que a Dani se mijasse toda de verdade de tanto rir. Depois ela veio me contar a história e também perdeu o chinelo, aí foi a minha vez de me mijar de tanto rir e ainda sem óculos não conseguia ajudá-la a achar.

Ai tem muita história pra contar, mas não consigo detalhar, ficaria aqui até o Reveião do ano que vem...
- A Laima quase ficando na rodoviária de Itajaí. "Julia, sua irmã desceu e não subiu mais não..."
- Eu e Laima pegando um busão até Ferrugem porque perdemos no 2 ou 1. Busão dos LOOOSERS!
- A Dança do Poodle no Cio
- Gincana do Mergulho Peladas no mar de 5°C
- Batidinhas de coco no bar do Zado-Zuado-Gozado-Usado
- Muitas lulas enoooormes no restaurante Dunas todo almoço
- O maldito cigarro da Vanessa
- Jogo do Eu Nunca, o jogo que fez as apresentações formais
- Dylon avisando: esse bonde vai partir meia noite
- Proporção de 50 homens para 1 mulher na Ferrugem e em todas as baladas no Rosa
- A gente abrindo o Mar del Rosa. "Alguém tem que entrar"
- Nel querendo dar selinho na balada inteira e querendo que todas também dessem
- Eu e Dani ensinando os uruguaios a falar Antonio Nunes
- Dani na vigésima tequila: "Caiu uma lágrima"
- Daniel dizendo sem parar: Porque aqui, aqui é tudo nosso
- E Dylon insistia: Aqui é Neto, titio!
- Os meninos toda balada nos fazendo voltar pra casa apertadas no Celtinha pra ficar mais CINCO minutinhos na balada
- Joguinho de mexe-mexe no fim da tarde
- Julia, Laima e Nel fazendo amissádi com os uruguaios assistentes de pedreiro e rugador de fútebol
- Clarian, a menina que mandava em todo mundo na piscina
- Cafés da manhã no Ferrujão com o sol fritando
- Guarda do Embaú, a Praia Grande de Santa Catarina, hahaha
- Seu Valdemar, o remador que só se deu bem. "Só tem sereiaaa"
- Nosso companheiro Felipe Dylon dançando muuuito na balada
- Laima duas horas passando mal no banheiro... e duas horas pra gente dar falta dela
- Badauí do CPM 22 dando um arroto no ouvido da Nel
- E como não poderia esquecer: Brindarmos e regozijarmos!

Que mais? Que mais?
Que mais é que esse ano tem muito mais!!!

Bem-vindo 2010! Here we coooooomeeeee!

Related Posts with Thumbnails