sexta-feira, 27 de junho de 2008

A ignorância das pessoas

Por que as pessoas não colaboram para a paz na humanidade? Vou dar exemplos.
Hoje vim pro trabalho de carro, no meio da Marginal a 90km/h um cara pela direita dava seta para entrar na minha frente e estava colado no carro da frente dele. Do nada ele decidiu entrar na minha pista com uma puta virada brusca, daquelas que você acha que o carro vai capotar. Eu tomei um puta susto, freei e meti a mão na buzinha, como o Potinho (nome do carro) não tem filme nos vidros (ainda!), enfiei a cabeça bem pra frente e xinguei muito, mas muito, até tentei alcançar o filho da puta pra poder xingar na cara dele, mas como ele era um filho da puta já estava lá pra frente. Como essas coisas me tiram do sério!

----

Aí chego pra estacionar e é um parto porque onde é perto do prédio é claro que não tem vaga e as que têm são multas certas e de multas eu já estou até a tampa, acho até que perdi minha habilitação.
Então preciso estacionar mais longe, mas é uma praça de estacionamento, só que fica em frente à sub-prefeitura, ou seja, está sempre lotada também. Preciso dar algumas voltas para achar uma vaga. E aí quando eu acho é uma vaguinha, bem pequenininha porque um filho da puta estacionou que nem a bunda dele. Eu ainda vou fazer uma campanha com adesivos escritos:
ESTACIONO MAL PRA CARALEO!
E aí as pessoas adeptas da campanha andam com esses adesivos dentro do carro e quando perderem uma vaga por causa de um filho da puta desses, vai lá bem na miúda e cola o adesivo na traseira do cara. Acho que ele vai levar alguns dias até ver o adesivo lá. Hohohoho!
Na faculdade o que eu ia distribuir desses adesivos, putz grila! Nego estaciona com uma distância do carro da frente e do de trás que caberia uns dois KAs ali, mas o meu é um potinho de sorvete então não cabe.
Inclusive uma vez eu fiquei muito puta e deixei um bilhete no vidro do cara: VOCÊ ESTACIONA MAL PRA CARALEO! VAI SE FUDER
Hahahaha! Só essas maldadezinhas me acalmam, assim como meter a mão na buzina.

----

Aí ontem, já cansada de esperar 2 meses por um novo cartão de crédito da UNICARD perdido, todo dia perguntando pra moça que entrega a correspondência se tinha chegado algo pra mim, liguei no banco para saber novamente o que tinha acontecido que a porra do cartão ainda não tinha chegado. A atendente, mal educada como sempre, deu lá suas respostas padrão até que pedi que a ligação fosse então transferida para o setor de cancelamento:
- Só um minuto, senhora... tu, tu, tu, tu.
Não é uma vaca? Desencanei porque estava no shopping com a Mônica e a Mariane, com a comida na bandeja esperando dar a hora do cinema.
Aí hoje a primeira coisa que fiz foi ligar lá de novo já pedindo direto:
- De onde é? Me passa pro setor de cancelamento de cartões.
Passou pra outra.
- De onde é? Me passa pro setor de cancelamento de cartões.
- Confirme seu CPF, senhora. (Ódio nível 1)
- Agora pode me passar pro setor de cancelamento de cartões?
- O cartão está bloqueado, senhora?
- É, eu estou esperando ele há dois meses e cansei, agora quero cancelar... pra sempre.
Passou pra outra. E aí o que eles fazem? Te mandam para o setor de atendentes calmas. Aquelas que servem para segurar a onda, quando a porra toda já está fodida e estão prestes a perder mais um cliente. Só que na verdade eu não queria cancelar a porra do cartão, só queria ser bem atendida e que meu cartão chegasse logo.
Por que precisamos engrossar, descer ao nível dessas débil mentais para poder ter um atendimento decente? É foda!
No fim das contas a mulher disse que colocaria urgência no meu caso para fazer o cartão chegar antes dos 10 dias úteis.
Catso, preciso comprar meu sofá, mas tá foda, viu?
Conclusão: nunca percam seus cartões de crédito.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Um frio da porra!

Definitivamente com esse frio que está, descolorir os pêlos às 8h da manhã, andando de calcinha, sutiã, meias e pantufa pela casa não é uma boa.

terça-feira, 24 de junho de 2008

Diabos!

Tô aqui pensando, após re-ler o post anterior, que diabos escrevi ali?
Escrevi e não disse nada do fim de semana. Mas agora já é segunda, o que passou, passou...
=D

----

Hoje voltando no trem pra casa, era umas 21h, trem vazio, gostoso se não fosse o cheiro externo. Sentei de frente para um bêbado dormindo. Como eu sabia que ele tava bêbado?
Assim que sentei, senti um cheiro diferente do cocô nosso de cada dia. E logo depois o cara começou a acordar, ele olhava para o horizonte naquele olhar perdido de bêbado, saquei na hora! Nos reconhecemos, sabe como é, né?
Pensei: nossa que bêbado bonzinho, não incomoda ninguém, vai dormindo a viagem toda.
Pra quê pensar? Ele olhou pro tiozinho do meu lado:
- Que horas são?
- São nove e trinta e seis.
- Puxa! Vinte cinco, já?
- Trinta e seis.
- Ah, vinte e seis, tá bom, tá bom. Nossa, minha mulher, quer dizer ex-mulher, porque agora estamos separados, me ligou dizendo que não tinha nem arroz pra comer e eu tô indo de Osasco até o Grajaú para levar o que me pediu, eu já estava deitado quando ela ligou, mas as crianças não tem nada com isso. E nossa a minha filha gosta demais de mim. Depois chego deixo uma mixaria para a mistura amanhã, porque não tenho muito e a hora que eu vou chegar né e volto pra Osasco de novo. Se quiser posso dormir lá, minha filha diz "pai você vai dormir aqui". É uma casa grande e é minha, tá em meu nome, tenho os documentos aqui no bolso junto com o RG, devo dois anos de IPTU, mas a casa é minha e as crianças, poxa, não têm nada a ver com isso. Eu e minha mulher estamos há 9 meses separados e eu sou o problema, não foi coisa de traição, nem nada disso, é porque ela não me deixa tomar um copo de cachaaaaassssça e uma cerveja, olha não sei se tem alguém aqui, mas ela é evangélica, né? Parece que está na religião do cão (foi o cão que botou pá nóis bebê). Entrou pra essa religião dos mormis, do Josepi Siumiti, não sei como se diz esse nome, Simiti, porque não sei falar inglês, não tive estudo, sou do Ceará, tenho um pouco, mas não falo inglês e a religião é do Josefi Simiti. E ela entrou pra essa religião dos mormis que não adimiti uma cachacinha. E eu não sou católico, não sou crente, não sou nada, fui batizado em uma igreja mas não entro desde, 93, 1995 quando batizei uma sobrinha, faz 13 anos. Minha religião é o meu ce... (cerveja?) selviço. Eu arrumo uma namorada aqui, uma acolá, mas as crianças né não tem culpa. Tem culpa? Tem? (O tiozinho disse que não com a cabeça) Pois é, não tem, então ela me liga pedindo um arroz, que não tem nada para comer eu vou, a hora que for... E separados a 9 meses, eu me joguei na cachaça agora. (não lembro o resto)

Foi assim, o bêbado disparou e o tiozinho só prestando atenção, não falava nada. Eu fiquei enjoada com aquele bafo de cachaça, igual o de alguém que eu conheci, que trazia PÉSSIMAS recordações, tive vontade de mudar de lugar, mas fiquei com vergonha pelo bêbado e também estava gostando da história, hehehe. Nunca tinha encontrado um bêbado no trem.

Chegou em Santo Amaro o tiozinho foi embora, acho que mudou de vagão, e entrou uma mina tossindo que sentou no lugar dele.
- Você está com essa tosse faz tempo? - começou o bêbado.
- Não.
- Porque olha eu tive essa tosse aí. Hoje de manhã estava um frio e eu não gosto do frio, gosto do sol, sou do Ceará, gosto de calor. Essa aqui é a estação Jurubatuba?
- ...
- É a Jurubatuba?
- ... é. - resmungou a mina.
Desci.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Finde bacana

Esse foi um final de semana um pouco fora do comunzinho, diferente daqueles que eu fico em casa o finde inteiro comendo e vendo TV.
Eu comi também, mas não vi um tico de TV sequer.
PENSA que eu fui com a Mônica e uma galera pra Boituva pra eles saltarem de pára-quedas!
É, eu não saltei, primeiro porque não tinha grana (esse mês finalmente sobrou um dindin pra fazer outras coisas, tipo BALADAS!) e outra, não sei se teria culhões para me jogar do avião... quase me caguei no Turbo Drop, pow!
Bom, tivemos que acordar do nosso cochilo às 5h da matina pra seguir pra lá e sem dormir porque a Mônica e a Cintia (integrantes da equipe TCHA TCHA TCHA) ficaram conversando (ou falando?) até as 3h.
Chegamos em Boituva às 9h30 com muitas paradas pelo caminho. O tempo não estava muito bom, sempre muitas nuvens. Tinha um carioca saltador (apesar dos PESARES eu amo o sotaque) que adorava fazer "amissáde" e contar histórias, técnicas, viagens do pára-quedismo, foi bom que fez passar o tempo.
Os saltos deles demoravam demaaaais entre um e outro, eu que não saltei faltando dois já estava de saco cheio, pedindo pra ir embora.
Saímos de lá direto pra Itu na casa de um menino, com a galera extasiada, um deles disse que é melhor que sexo... preciso provar esse baguio, mano! =D
Bom, no caminho uma ansiedade pra saber onde estávamos nos metendo, até que o dono da casa em Itu estava de carro na frente e encostou pra um retorno:
- Será ali? - Olhei pra uma portaria de condomínio enorme.
- Não sei, melhor não se precipitar pode ser só um retorno. - Tentou disfarçar a Mônica.
Enfim, a casa do menino fica tipo em Wisteria Lane, quando entramos no condomínio eu dizia:
- Mônica, Mônica, Mônica, o que é isso??
- Viu Mari, não te boto em roubadas.
- Meu Deus, olha essa casa... e essa... e aquela... e aquela outra! Caralho a piscina dessa deve ficar lá em cima! Tem lago e as pessoas pescam nele! Ali deve ser "o clube". Chegamos nos Estados Unidos, parece filme americano, hahahahaha.
Nem as crianças felizes e saudáveis brincando faltaram. E o dono ia correndo de carro na frente e a gente querendo ver as casas, mas não podia ir devagar porque perdia ele de vista, hahaha. Ainda falei:
- Mô, não vai ser como sempre é, que a gente vai vendo casas lindas e quando chega na da gente é aquela casinha mixuruca, né?
- Olha se fosse essa aqui eu já tava bem feliz. - apontou pra uma mais humildezinha... era a capela, hehehehe.
Quando chegamos na casa do menino, era tão linda quanto as outras: sem portão, sem grade, com um gramado lindo e verdinho, com uma piscina grande e bacana, bem no estilo sala de estar, de jantar, de tv, de mesa de sinuca, não-sei-quantas-suítes, etc. Bom a mãe dele é arquiteta então já se explica todo o bom gosto.
Fomos até Itu (a cidade que é TUDO GRANDE) para fazer umas comprinhas líquidas. Ficamos zoando o nome das lojas que, claro, quase todas tinham o nome terminado com ÃO. Fiz questão que eles passassem pelo semáforozão e o orelhãozão que tem na praça da cidade, heheheh.
Voltamos pra Wisteria Lane e bebemos a noite toda, regado a muito mau-mau e queba-quebra.
Louco!

----

Ah! Só porque falei do elevador do trampo, naquela mesma semana eu peguei ele vazio várias vezes e algumas outras vezes peguei ele com algumas pessoas e ele foi direto para o meu andar, sem parar antes... Vai entender a Lady Murphy.

----

Continuando com as músicas lindas do mês. Vejam abaixo o vídeo da Feist, da música 1234, a música que quando você ouve dá uma alegria na vida, como hoje é segunda acho que se encaixa bem. Dá vontade de sair dançando pelo trem, pegando os tiozinhos pela mão e saltitando pelo vagão, hahaha... bom se eu fosse fazer um vídeo cover dessa música, na versão tosca Micón, seria assim.
Aliás a simplicidade dos clipes da Feist fazem dela mais sensacional do que nunca!! Parecem ser gravados num take só e não gastarem muito dinheiro. Depois de ver esse ai, procura mais no iutchubi, tipo I Feel It All que ela bate nos latões de fogos, bem louco... e simples. (Apresentado por Nel)

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Momento mulhérrr

Ontem começou o São Paulo Féxion Freak e lá estávamos eu e Fabi, as que menos manjam de moda, rs.
Mas o que nós não fomos ver eram os desfiles, fomos lá fazer as matérias inusitadas. A intenção era ir um dia só, porque é UM SACO ficar lá, mas como a Fabi acha que não deu pra terminar a matéria vamos voltar lá.

Bom só pelo primeiro dia já valeu a visita, essa edição tá bem meeeelhor do que a de janeiro, bem melhor porque ganhamos MIL brindes, hehehe: um chinelo das Havaianas personalizado que veio com uma bolsa que eu gostei mais ainda (e já estou usando) porque as Havaianas machucam meu pé, fora as guloseimas japas que tinham no stand bem gostosas e apimentadas; ganhamos 3 batons no stand da Natura que veio numa caixa bem bonitinha; uma capa de vestido da Vanish que veio em uma caixa bem legal que valeu mais que o "brinde"; e uma ecobag do SENAC, que pra ganhar tive que fazer um origami tsuru, bem bonita também.
A minha nova-velha bolsa roxa agradece tantas companheiras para dar um descanso pra ela, rs.

Consegui assistir só um desfile da Fabia Bercsek, que pelo que entendi ela é uma das estilistas da Adidas. Foi bem bonito o desfile, mas o final ficou estranho porque as modelos demoraram pra voltar no grand finale, quando todas desfilam juntas e quando isso aconteceu elas entraram no escuro com uma máquina de soltar bolhas de sabão em cima da cabeça. Uma delas quase ficou cega porque as bolhas não se formavam pro alto e sim escorriam pela cabeça, hahahaha.

-----

Viagra pra mulher? Acho que nem precisa, hein? Basta um homem bom, ou suas mãos ágeis.
Falando nisso, se liga nesses vibradores que publicamos na GLOSS... são lindos! =D
Dá pra comprar pela net, tá? ;o)

-----

Continuando o momento mulhérrr de serrr... não consigo parar de ouvir Duffy (que não é a Hillary) e Feist... são muito lindas!
A Duffy já nasceu com 60 anos, suas músicas e a sua banda também, preciso apresentá-la para a minha mãe.
É bom ouvir mulheres cantando... lembro do tempo que eu amava Alanis e Shakira, hoje elas nem fazem nada de legal... uma vive no Tibet com músicas estranhas e a outra rebolando por aí com os negão, hunf ¬¬.

Se você não conhece a Duffy, por favor você precisa ver esse vídeo:

domingo, 15 de junho de 2008

PT

Ou seja, Perda Total.
Esta era eu. Fui querer dar uma de ixpierta economizando na balada MAIS AGUARDADA DO ANO, bebendo antes de entrar. Bebi demais. Hahahaha...
Não vi nada do que aconteceu nas poucas horas que passei lá dentro... que horrível. Não sei como foi, estava ótima e de repente estava muito mal precisando vômitar. Foi estranho porque eu raramente passo da minha conta, a única explicação foi ter bebido rápido demais.

Mas uma coisa é certa: nunca mais vou beber.
Ah ram.

Hoje fiquei o dia inteiro curando a ressaca com coca-cola gelada e Dominguuuuu LEGAL.
-----
Recebi este e-mail de uma amiga. Acho que cabe para a maioria que lê este blog. =)

Ter vinte e poucos anos...

Isto é chamado de 'crise de um quarto de vida'. É quando você pára de sair com a galera e começa a perceber muitas coisas sobre você que você mesmo não conhece e pode não gostar disso. Você começa a se sentir inseguro e pensar sobre onde você vai estar daqui a um ano ou dois, mas de repente se sente inseguro porque você mal sabe onde está agora. Você começa a perceber que as pessoas são egoístas e que, talvez, aqueles amigos que você pensou que eram tão próximos não são exatamente as melhores pessoas que você encontrou em seu caminho, e pessoas que você perdeu o contato eram algumas das mais importantes. O que você não consegue perceber é que eles percebem isso também, e não estão sendo frios, grosseiros, ou falsos, mas estão tão confusos quanto você.

Você olha para seu emprego...e não é nem perto do que você imaginava que estaria fazendo, ou talvez você esteja procurando emprego e percebendo que vai começar do zero e isso pode te assustar. Suas opiniões se tornaram mais fortes. Você vê o que os outros estão fazendo e se encontra julgando mais do que o usual, porque você percebe que desenvolveu certo limites na sua vida e está constantemente
adicionando coisas na sua lista do que é aceitável e o que não é.

Em um minuto, você está inseguro e no próximo, seguro. Você ri e chora com a maior força da sua vida. Você se sente sozinho, assustado e confuso. De repente, a mudança é sua maior inimiga e você tenta se agarrar ao passado com a vida boa, mas logo percebe que o assado está cada vez mais longe, e não há nada a se fazer a não ser ficar onde está ou caminhar para a frente. Você tem seu coração quebrado e pensa como alguém que você amava tanto pôde causar tanto estrago em você. Ou você fica deitado na cama e pensa por que você não poderia encontrar alguém decente o suficiente que você queira conhecer melhor. Ou às vezes você ama alguém e ama outro alguém também e não consegue imaginar porque você faz isso, já que você sabe que não é uma má pessoa. Ficar com alguém por uma noite ou galinhar começam a parecer ridículos. Agir como um idiota se torna patético. Você sente as mesmas coisas e enfrenta as mesmas questões de novo e de novo, e conversa com seus colegas sobre as mesmas coisas porque você não consegue tomar decisões.

Você se preocupa sobre empréstimos, dinheiro, o futuro e construir sua própria vida...e enquanto ganhar a corrida seria maravilhoso, neste momento você gostaria apenas de participar! O que você pode não perceber é que todos que lêem isso encontram algo em comum. Estamos em uma das melhores e piores épocas da vida, tentando o máximo que podemos acabar com isso.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Era pra ontem...

Eu procuro um amor que ainda não encontrei (este título era pra ontem)
Feliz dia dos namorados atrasado (post era pra ontem, mas não consegui publicar) pra quem tem namorado e um feliz resto de ano pra quem não tem e vive essa vida bôua de solteira! Hohohoho.

O pior mesmo do dia de hoje ontem é que meu time morreu na praia ontem antisdontis. Hunf!
Sem mais comentários.

Adicionem a GLOSS em tudo quanto é coisa: http://meadiciona.com/gloss =)

PS: antes que eu me esqueça: ANÔNIMOS vão tomar no cu! Vai comentar anônimo na casa do caralho!


terça-feira, 10 de junho de 2008

Os elevadores

Eu não sei porque mas eu nunca consigo pegar um elevador no trabalho que vai direto para o meu andar. Deve ser o Murphy, sempre ele.
Eu trabalho no décimo sexto e o elevador vai do térreo ao décimo terceiro (viu como eu sei escrever os números ordinais por extenso?) de uma vez pra subir atéééé o vigésimo quarto, o andar proibido.
Só que toda vez que eu entro no elevador:
1º) (só pra manter a lógica dos ordinais) Alguém entra junto;
2º) Esse alguém vai pra outro andar;
3º) Esse andar é ANTES do meu;
Conclusão: eu nunca chego rápido.
Fico pensando no coitado que trabalha lá no 24º (cansei de escrever por extenso!) e já está atrasado pra reunião, deve suar frio dentro do elevador das 9h, aquele que vai pingando de andar em andar.

E quando o elevador tá lotado (diz a plaquinha que cabem 24 pessoas, mas graças que nunca peguei um desses) e o cara que vai descer no 13º tá lá no fundo? Aí chega no andar dele, tem que descer todo mundo, ele sai, volta todo mundo. Ai-meu-saco-que-eu-não-tenho!

E quando o elevador chega lotado e você PRECISA entrar neste porque já se passaram uns 3 cheios que não cabia mais um corpo? As pessoas não se tocam, fazem cara de paisagem e nem com a minha cara de "cença" (aquele suspirinho de "me dá licença, por favor" que as pessoas costumam dar em elevadores) dão um passinho pra trás pra me fazer caber.
Uma hora que não dá pra entrar no elevador é nos do meio-dia. Hora do almoço, toooodo o executivo sai pra almoçar. Nesse horário tem que esperar o povo do 23º, 22º, 21º, 20º, 19º, 18º, 17º toooodo descer pra você conseguir entrar em um elevador.
E a cada elevador que pára, abre as portas e você não consegue entrar é preciso apertar o botão do andar pra pedir novamente um outro elevador. Só que se você aperta o botão antes do elevador lotado partir, ele abre as portas novamente. E isso pode acontecer quinhentas vêis, até o elevador se irritar e começar a apitar.
Às vezes a gente aperta o botão antes sem querer e as pessoas que estão lá dentro, apertadas, olham pra gente no andar com uma cara de "pãããtz!", hahahaha, é engraçado.
Já duas vezes isso aconteceu comigo por perto e a Fabi nas duas vezes olhou pras pessoas no elevador e apontou pra pessoa que apertou o botão antes da hora:
- Foi ela.
Hahahahahaha! É muito engraçado isso porque as pessoas do elevador não sabem o que fazer... a não ser esperar que as portas se fechem e termine o constrangimento.

Eu gosto de entrar no elevador por último pra ficar bem na porta, olhando as pessoas pelo reflexo, acho que muita gente também gosta disso porque às vezes me pegam no flagra encarando a conversa de alguém.

Mas já que eu tô falando em elevador, lembrei de elevador de prédio residencial. Tem prédio que você entra no elevador e as pessoas gostam muito de te cumprimentar e reparar qual botão você aperta pra ficar imaginando em que apartamento você vai. Bom, pelo menos é isso o que eu faço, hehehehe. Como sou comunzinha acredito que a maioria também faz.

Meu prédio, ainda bem que não tem, mas lembro que quando estava procurando apartamento fui com papai, mamãe, Liba e Chuchu ver um que estava com o único elevador quebrado e o apartamento era no 7º andar. No 4º andar as meninas já perguntavam:
- Tá chegando, vovó?
Claro que desistimos do apê, né? Vai que...

E sexo no elevador, hein? Eu ainda não experimentei, mas acredito que tem que ser amiga do porteiro, não pra transar com ele, né, mas pra conseguir o feito. Ou nem morar no prédio pra nunca mais ter que olhar na cara do porteiro que assistiu tudo pela câmerazinha.Acho que o esquema deve ser um elevador daqueles antigões que você tem que puxar a porta e virar a alavanca pra andar.
Pensando bem, acho que queria um elevador no meu prédio. Apesar que eu moro no térreo. Acho que vou me mudar em breve... pra cobertura!

Já que falei tanto desta invenção relativamente nova e muito útil ao homem, vai aí um vídeo do elevador do Playcenter, no dia que fui com a minha prima. Não reparem que eu quase caguei nas calças, tá?

Uma tarde na redação

De repente uma voz diz:
- In the jungle, tarara jungle...
E o outro responde:
- Ahm uma aiê, ahm uma aiê
- Vamos gente, todo mundo: ahm uma aiê, ahm uma aiê.
- É com você, Vini!
- Ou-iiiiii iiiiiiii maum maum maum auê...
- (Uns cinco em côro) Ahm uma aiê, ahm uma aiê
De repente a redação mais barulhenta do andar estava cantando a música toda, num coral lindo!
No final ouvíamos gargalhadas vindas de outras redações e surge o chefe-dos-chefes da sala dele:
- Parabéns, GLOSS, vocês estão muito ensaiados.
- Foi ele! - apontando pro Vini.


Ficou igualzinho o vídeo aí de cima, ficamos de ensaiar a dancinha.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Cléo de colant

Olha só o vídeo da Cléo quando precisei vestir uma meia no corpitcho dela para ela não arrancar os pontos da castração.



Não é uma fofinha? Hehehe. Ela ficou irritadíssima, esses foram os primeiros minutos, depois ela se acostumou.
Agora ela já está ótima, saltitante e fujona, como sempre.

Sex And The City

Ontem assisti o filme mais esperado do ano pelas mulézinhas. Fui com a minha prima Mari. Tive que pagar inteira porque não sei que raios que a minha carteirinha de estudante não estava na carteira.
Corremos até a Americanas pra comprar guloseimas (e se eu não seguro a Mari, ela também ia levar um milkshake do Bob's).
Foi tão divertido o filme! A sessão estava lotada de meninas, no máximo uns namorados. E começa com a musiquinha do seriado, já pra entrar no clima.
O filme me fez refletir sobre muitas coisas, uma delas que eu estava certa: se for pra casar que seja depois dos 40. Mas que se eu não casar vou ser feliz da vida como a Samantha (a minha ídala), hahaha. Tem que ver o filme pra entender porque ela é ídala!
E outra: o Mr. Big é um chaaaaarme... é feio, eu sei, mas é lindo! Entendeu?

O filme pareceu ser esticado ao máximo, mas no final fiquei querendo mais.
Hoje vou alugar uns DVD's da série na faculdade pra relembrar, porque eu nem vi todos os episódios mesmo.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Alguém fez! \o/

Obrigado Senhor!!
Alguém fez a análise gramatical da entrevista dos Nardonis. É MUITO engraçado!!! Por favores, vejans:



Recomendação do Luiz. Valeu!!!

Falando em televisão, você já assitiu o 15 minutos? É muito bom. Assistam. É tipo um nada de programa, assim como este blog o é, mas é interessante e dá pra ganhar uma risadelas.
Presta atenção no apresentador, Adnet, parece que ele tem um excesso de acúmulo de saliva extra... deve falar cuspindo, hahaha.

quinta-feira, 5 de junho de 2008

É ela mesma?

Gente,
Olha esse ensaio da Giselle Itié encarnada na Fucking Crazy Amy Casa-de-Vinho:

Ficou perfeito, fala sério! Só tive certeza que não era a própria porque ontem estava lendo umas notícias da verdadeira no Ego.com e tinha uma foto dela assim:

Estragada, coitada!

Mó dó dessa mina, viu? Fodona, e nem vai lançar muitos discos porque logo ela vai morrer, né? Tem um bolão rolando, eu apostei que infelizmente ela não dura até o fim do ano, já que ela conseguiu sobreviver à 2007.

Ah, se você quiser ver o ensaio inteiro da Giselle, vai lá na Revista Trip, era para ter um texto da Fernanda Young, mas só tem as fotos da Hanna Jatobá.

PS: e meu Coringão, hein? Que orgulho!!!


terça-feira, 3 de junho de 2008

Meu trabalho

Eu trabalho num lugar bem interessante, sabe? Cheio de celebridades, vira e mexe aparece uma, seja celebridade célebre, ou celebridade miojo.
Outro dia estava descendo pelo elevador, ele parou no 13º andar, abriu as portas, ninguém entrou, enfiei a cabeça pra fora e vi a Gyselle do Big Brother parada, conversando com uma moça. Não entrou, estava com umas revistas na mão, acho que era a Playboy dela (ela já posou, né?).

Aí outro dia fui comprar meu café da manhã na lanchonete. Tinham dois homens conversando no balcão, olhei pra um deles e pensei conhecer de algum lugar. Enquanto esperava minha vez de fazer o pedido ouvi a conversa deles e a voz inconfundível me fez perceber quem era: Nelson Motta, estava aqui para um bate-papo sobre o livro do Tim Maia. Até pensei em falar com ele, mas a conversa deles estava muito concentrada e depois achei que era muita tietagem, hehehe.

No outro dia estava saindo, fim do expediente na firma e vi um menino muito gatinho no hall do prédio, quando olhei direito era o Lucas do Fresno, que estava aqui para fazer um chat na Capricho. Hehehehe! Ops!

E teve um dia também que vi o namorado da Sandy no hall, conversando com alguém. Feinho, tadinho.
Das que eu me lembro foram essas.

E ontem fui TENTAR fazer um passo-a-passo de maquiagem, mas as fotos não ficaram boas, acho que não ai virar nada. Veja algumas fotos abaixo:


Sombras lindas, de muitas cores, todas da MAC, tá?


Muitos pincéis, nem sei pra que tantos!


Metade do trabalho, o maquiador colocou mil cores, mas ficou liiiindo, dava para ver todas as cores (amarelo, laranja, vermelho-tomate, rosa, roxo, verde, verde água) não era nada parecido do que eu tento fazer em casa, hehehe.


E essa é a depilação egípcia, sempre aprendo uma coisa nova nessas sessões de fotos. É máximo! Não faz sujeira e diz a depiladora que não deixa a pele flácida, além de remover todas as células mortas também. EU QUERO!

PS: balada do fim de semana foi uma das melhores dos últimos tempos. Me acabeeeei, tô com os pés doloridos até hoje de tanto dançar num salto 50 (mentira, o salto é baixo, eu é que não agüento o tranco).
Related Posts with Thumbnails